Artigos

Junte-se a milhares de tecladistas inteligentes e receba atualizações,
artigos e aulas exclusivas para levar sua musicalidade a um alto nível

Crianças com Déficit de Atenção

Crianças com Déficit de Atenção

Olá, tudo bem? Nós temos falado bastante sobre o meio infantil em nossos artigos e hoje não será diferente.

Vamos falar e tratar sobre crianças com déficit de atenção e como a música pode, de forma incrível, amenizar ou até solucionar esse problema.

A música é muito poderosa na educação infantil e, assim como falamos em nosso artigo, ela tem sido importantíssima na construção e na formação de nossas crianças.

Se você chegou até aqui, você com certeza já lidou ou está lidando com um tópico que causa bastante preocupação e medo, se tratando dos nossos pequenos: o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, também conhecido como TDAH.

Quando entramos nessa pauta, sabemos que as dúvidas são muitas, especialmente por não tratar-se de algo físico, ou visível, nem a olho nu e muito menos em um microscópio.  

Mas que, como sabemos, pode causar muitas dificuldades e danos, quando não tomadas as devidas providências e atenção total.

Só é possível constatar a possibilidade de TDAH com um olhar atento na criança, já que muitas vezes o transtorno passa despercebido sob o senso comum de “coisas da idade”.

Portanto, preste atenção nestes que são os principais sintomas da TDAH:

  • Movimento constante
  • Inquietude
  • Interrupção de atividades e de concentração de forma intensa
  • Dificuldade em ficar parado
  • Necessidade de lembretes constantes sobre coisas simples da  rotina.

Caso seu filho ou aluno apresente tais características de forma muito veemente, existe a possibilidade de ser um quadro de Déficit de Atenção e Hiperatividade.

Neste caso, é necessário ter um acompanhamento específico e principalmente, buscar ajuda.

Milhares de pais e mães estão iniciando seus filhos na música com esse Livro gratuito

Faça o download clicando aqui

ENTENDENDO O TDAH?

Primeiramente, é importante destacar que o TDAH é um transtorno neurocomportamental, ou seja, não é possível diagnosticar através de exames no laboratório, como uma ressonância por exemplo.

O seu diagnóstico é realizado da mesma forma que em casos de depressão, ou síndrome do pânico. É feito de forma clínica, com base em sintomas, por um médico psiquiatra.

No entanto, também deverão ser consultados outros especialistas como pediatras e neurologistas especializados na doença, sempre que necessário. É importante ter opiniões diferentes, no processo de diagnóstico.

É importante que você saiba que todos nós, sem excessão, temos TDAH, e que isso é normal. Porém, nos casos onde isso se torna um problema, significa que ultrapassou da normalidade.

Para você entender melhor, pense na diabetes (glicose elevada no sangue).

Todos temos açúcar no sangue, mas nem todos temos insulina suficiente, capaz de amenizar a quantidade desse açúcar.

Ou seja, as pessoas, independente da idade, têm níveis de déficit de atenção e hiperatividade, entretanto, em alguns casos, estes níveis e transtornos são muito maiores.

Em alguns indivíduos, o TDAH tem uma combinação prejudicial e intensa, a ponto de comprometer a qualidade de vida. São em casos como esses que a intervenção se faz necessária.

Sobre o comprometimento ou desenvolvimento da inteligência infantil, crianças com déficit de atenção não possuem suas capacidades intelectuais comprometidas ou super desenvolvidas.

Por ser um transtorno neurobiológico, ele pode ocorrer em qualquer tipo de criança e de forma que independe dos seus níveis de inteligência.

Ou seja, uma criança com TDAH não será superdotada por conta da doença e tampouco terá capacidade abaixo da maioria.

CRIANÇAS COM DÉFICIT DE ATENÇÃO: TRATAMENTO

O déficit de atenção, bem como a hiperatividade, são casos clínicos e de diagnóstico fechado, ou seja, exceto em casos muito leves, não podem ser tratados com terapias e atividade paralelas.

É necessário um acompanhamento médico psiquiátrico e o uso de medicação controlada.

Caso você esteja preocupado, a medicação não traz nenhum tipo de risco ou dano a saúde e, segundo o psiquiatra Paulo Mattos, um dos fundadores da Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA), o tratamento correto diminui a probabilidade de necessidade futura de medicamentos.

Como o TDAH é uma doença que em geral se estabiliza com a chegada da idade adulta, a pessoa para de tomar remédios na grande maioria dos casos. Ou seja, as crianças com déficit de atenção, se tratada da maneira correta, não terá problemas com a medicação ou com a dependência da mesma.

Mas, obviamente, a terapia com medicamentos, não é suficiente!

Alguns cuidados e atividades extras, devem ser incluídas na rotina da criança, de modo a melhorar ao máximo a qualidade de vida e diminuir os transtornos.

COMO AJUDAR A CRIANÇA COM TDAH?

O primeiro grande passo é adquirir o máximo de informação possível sobre o transtorno e, isso fará toda a diferença. A leitura desse artigo com certeza já é um avanço para um breve conhecimento do problema.

Além disso, é importante que você conheça alguns mandamentos básicos e segui-los à risca.

A Associação Brasileira de Déficit de Atenção listou algumas dicas importantes que vão ajudar você nessa questão. Veja abaixo!

Crianças com Déficit de Atenção: 10 dicas

  1. Reforçar o que há de melhor na criança.
  2. Não estabelecer comparações entre os filhos. Cada criança apresenta um comportamento diante da mesma situação.
  3. Procurar conversar sempre com a criança sobre como está se sentindo.
  4. Aprender a controlar a própria impaciência.
  5. Estabeleça regras e limites dentro de casa, mas tenha atenção para obedecer-lhes também.
  6. Não esperar “perfeição’’.
  7. Não cobre resultados, cobre empenho.
  8. Elogie! Não se esqueça de elogiar! O estímulo nunca é demais. A criança precisa ver que seus esforços em vencer a desatenção, controlar a ansiedade e manter o “motorzinho de 220 volts” em baixas rotações estão sendo reconhecidos.
  9. Manter limites claros e consistentes, relembrando-os frequentemente.
  10. Use linguagem clara e direta, de preferência falando de frente e olhando nos olhos.

BÔNUS: +10 dicas para vencer o transtorno

  1. Não exigir mais do que a criança pode dar: deve-se considerar a sua idade.
  2. Ter sempre um tempo disponível para interagir e brinca com a criança.
  3. Incentivar as brincadeiras com jogos e regras, pois além de ajudar a desenvolver a atenção, isso permite que a criança organize-se por meio de regras e limites e, aprenda a participar, ganhando, perdendo ou mesmo empatando.
  4. Quem tem TDAH pode descarregar sua “bateria” muito rapidamente. Se este for o caso, “recarregue a bateria” com mais frequência. Alguns portadores precisam de um simples cochilo durante o dia, outros de passear com o cachorro, outros de passar o fim de semana fora, outros ainda de ginástica ou futebol. Descubra como a “bateria” do seu filho é melhor recarregada.
  5. Evite ficar o tempo todo dentro de casa, principalmente nos fins de semana. Programe atividades diferentes, não fique sempre fazendo a mesma coisa. Leve todos à praia, ao teatro, ao cinema, para andar no parque, enfim, seja criativo.
  6. Estabeleça cronogramas, incluindo os períodos para “descanso”, brincadeiras ou simplesmente horários livres para se fazer o que quiser.
  7. Nenhuma atividade que requeira concentração (estudo, deveres de casa) pode ser muito prolongada. Intercale coisas agradáveis com tarefas que demandam atenção prolongada (potencialmente desagradáveis).
  8. Procure sempre perguntar o que ela quer, o que está achando das coisas. Não crie uma relação unidirecional. Obviamente, os pedidos devem ser negociados e atendidos no que for possível.
  9. Use mural para fixar lembretes, listas de coisas a fazer, calendário de provas. Também coloque algumas regras que foram combinadas e promessas de prêmio quando for o caso.
  10. Estimule e cobre o uso diário de uma agenda. Se ela for eletrônica, melhor ainda. As agendas devem ser consultadas diariamente.

Seu filho vai aprender música! – O Guia Infalível

Baixe gratuitamente agora

CRIANÇAS COM DÉFICIT DE ATENÇÃO E O TRATAMENTO COM MÚSICA

Como falamos acima, o tratamento para o TDAH deve ser feito com acompanhamento médico e de especialistas. Porém, algumas atividades podem auxiliar no processo e no alívio dos sintomas, utilizando a música para isso.

Já sabemos que a música pode ser uma grande aliada para vencer dificuldades da infância, como a timidez infantil, a dificuldade de aprendizagem e outras questões rotineiras.

Ou seja, se seu filho possui Déficit de Atenção, não descarte utilizar a música como parte do tratamento, na verdade ela é uma ferramenta valiosa para tal.

Uma boa ideia é utilizar sons e estilos musicais, em playlists, de maneira apropriada ao momento.

Por exemplo, na hora de gastar energia, músicas animadas e divertidas podem gerar bons momentos de descontração e dança.

Para o momento de estudos, troque as músicas um pouco antes por algo clássico, para ir acalmando a criança e preparando para a hora da lição.

No horário de dormir, vocês podem cantar juntos alguns temas que tranquilizem e relaxem a mente e corpo!

Tenha sempre em mãos alguns sons que o seu filho goste e que traga harmonia para o momento.

Clique no Link abaixo e veja a lista de músicas que separamos, para ajudar no desenvolvimento das crianças:

O PIANO E A MÚSICA COMO ALIADOS NO TRATAMENTO

Como sempre ressaltamos, a música não somente relaxa mas também estimula habilidades motoras e cognitivas. O estudo do piano, por exemplo, exige dedicação e disciplina por parte dos alunos.

Em um primeiro momento, pode parecer impossível aos pais conseguir acreditar na capacidade infantil de concentrar no piano, ainda mais falando de crianças com déficit de atenção.

Porém, com aulas leves, dinâmicas e interativas, o aluno vai aprender a apreciar o momento e o conhecimento musical pra toda vida.

A ideia de incluir um hobbie na rotina, como aprender um instrumento, por exemplo, é uma estratégia muito recomendada por psiquiatras e psicólogos.

Afinal, o exercício musical reforça as áreas do nosso cérebro relacionadas ao aprendizado, que – por sua vez – são as mais afetadas pelo TDAH.

Uma curiosidade cômica, para os fãs do seriado animado The Simpsons, quando a família amarela descobre que Bart Simpson tem TDAH, o instrumento musical é a indicação para o tratamento. (episódio 02, da 11ª temporada).

Parece brincadeira, mas inserir o estudo de um instrumento, seja ele bateria, gaita ou o próprio piano, pode ser o diferencial no tratamento. Ninguém resiste ao piano!

Imagine as mãozinhas pequenas nas teclas, tocando suas músicas favoritas. É diversão garantida e os benefícios do estudo, serão levados para a vida adulta, também.

É fato que um estudante de música, adquire o hábito de tocar seu instrumento por prazer e para ter momentos de tranquilidade. Portanto, investir no estudo do piano, é com certeza, investir no futuro do seu filho. 

CONCLUINDO

Espero ter ajudado você no que diz respeito as crianças com déficit de atenção e o tratamento em relação a esse transtorno.

Mais uma vez, é um prazer contribuir com esse assunto e aplicar nossos conhecimentos musicais como fonte de mudança na vida dos nossos pequenos.

Nós preparamos também um material gratuito sobre como seu filho pode aprender música. Faça o download clicando aqui!

Um forte abraço e nos vemos em breve,
Equipe Aprenda Piano

Gostou desse conteúdo?

Participe da nossa lista VIP e receba conteúdos exclusivos via email. É grátis:

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

CONHEÇA NOSSOS CURSOS EM VÍDEO ONLINE:

Método M30 – Realize o sonho de tocar sua 1ª música

Método M30 – Realize o sonho de tocar sua 1ª música

Aprenda a tocar sua 1ª música no piano ou teclado. O método M30 é a sua maior chance de aprender piano do zero

Curso Extraordinários

Curso Extraordinários

Entre em estado acelerado de aprendizado nas teclas: estude do básico ao avançado de forma empolgante!

Piano Prime – Técnicas Incríveis para Embelezar suas Execuções

Piano Prime – Técnicas Incríveis para Embelezar suas Execuções

Torne suas execuções inesquecíveis e emocionantes com técnicas que irão elevar rapidamente o seu nível musical

Piano Kids – Seu filho tocando piano em 30 dias

Piano Kids – Seu filho tocando piano em 30 dias

Diferente de qualquer outro curso no mundo inteiro, o Piano Kids vai ensinar música para seu filho de uma forma divertida e emocionante.

COMO LER PARTITURAS

COMO LER PARTITURAS

Aprenda a ler partituras de uma forma extremamente prática e simplificada. Curso ministrado pela professora Raquel Xavier